12 julho, 2012

entrou no email do KL

nota do blogue: as informações que identificavam o suposto autor de fraude, foram retiradas do texto propositadamente

Foi recentemente noticiada o desmantelamento de um  sistema organizado de falso desemprego de empresários no norte do país que visava exclusivamente extorquir dinheiro com recorrência a um complexo e labiríntico metodo. Ainda bem que o foi.

Estas situações são frequentes e muitas vezes são do conhecimento geral inclusivamente do poder local (juntas de freguesia) que conhecem a situação e não fazem absolutamente nada aquando das apresentações periódicas, calando-se e até escondendo.

Ora esta situação deve e tem que ser divulgada , pelo escândalo, aberração, injustiça e crime que isso representa.

Mas se temos a obrigação moral de denunciar casos destes, a detecção e prova por parte das entidades que têm que fiscalizar está muito longe de ser eficaz e muitas vezes mesmo denunciando pouco podem fazer.
O seguinte caso foi denunciado recentemente ao centro de emprego, inspecção geral do trabalho e ministério das finanças, resultado.....NENHUM.

Vejamos a denuncia:


subsidio de desemprego falso

Exmos Snrs.

Em julho de 2010 o sr ***************, morador na freguesia de caldas de s.jorge do concelho de Santa Maria da Feira e com o numero fiscal ***********,  iniciou a sua situação de desemprego FALSA  e previamente preparada e calculada.

Um ano ou mais antes do desemprego começou a
contribuir calculadamente com um salário de 3000,00euros,  para mais tarde a empresa lhe cessar o contrato e este iniciar o desemprego.

O desemprego FALSO porque além do "beneficiário" em causa nunca ter deixado de trabalhar na mesma empresa o que se passa é a empresa em causa (empresa K) é de sua propriedade  da sua familia assim como mais duas empresas ; “empresa X” e também “empresa Y”, que são subsidiárias umas das outras e funcionam todas nas mesmas instalações .

Esta situação configura fraude e apropriação de dinheiros públicos que deve ser averiguada, punida e corrigida.

A transferência de propriedades para o nome de filhos e até situação de divorcio com vista à preparação de uma hipotética insolvência também não está excluída.

Esta denuncia foi simultaneamente enviada para o serviço de finanças da área e também para a inspecção geral de trabalho e seg social.

Como se deve calcular, o subsídio de desemprego desse senhor "empresário" anda muito perto dos 2000 euros que todos os portugueses estão a pagar.

Com a idade que tem também não é difícil concluir que no fim do desemprego, entra directamente na reforma antecipada por desemprego de longa duração prevista na lei.

O espertismo no seu melhor.

O IEFP pouco pode fazer a não ser arranjar-lhe emprego, mas quem é que dá emprego a uma pessoa de 57/60 anos ainda por cima "director comercial" com um salário de 3000,00€ ?, ninguém claro.
Enquanto isto, este senhor continua a trabalhar na "sua empresa" todos os dias aos olhos de toda a gente.
haja decência.

4 comentários:

Paulo Pinto disse...

Tanta manifestação que se faz para pedir coisas que não existem ou que são impossíveis de dar...
Pois eu alinhava numa manifestação contra esta gente. Chamar-lhe-ia Luta pela Decência.

Paulo Pito Nu disse...

Irmão Kapado, infelizmente decência nu Portugal é impossível de dar.

MS disse...

Tenho pena é dos funcionários da empresa ou empresas desse indivíduo... Quanto a ele, a denuncia tendo sido feita, há que esperar que tenha seguimento e leve a alguma acção. Há que investigar... e punir!

Anónimo disse...

A esse Senhor que fez a denúncia qual é o problema dele???
Será que ele quer o bem da sua Terra ou mal ? Pois aproveita-se de qualquer situação para prejudicar a Terra.
Se a firma nunca parou é porque as coisas não estou ilegais como ele consta com os seus comentarios.
Dava lhe a dica de se informar das coisas em vez de criticar.
Secalhar não é digno da sua Terra.