23 outubro, 2012

Bloco apresenta 6 medidas para salvar a economia

Francisco Louçã, no encerramento das jornadas parlamentares do Bloco de Esquerda, apresentou seis medidas fundamentais para salvar a economia. 

No documento apresentado, salienta-se que “em 2012, a dívida pública já aumentou 13,4 mil milhões e, só em Julho e em Agosto, cresceu 700 milhões; que “no final de 2012, esta dívida será mais do dobro do que era há oito anos; e que “em 2013, aumentará mais 12 mil milhões”.

E sublinha-se: “Portugal está a empobrecer, a perder emprego e a promover a emigração, para ficar sempre mais endividado. Responder a esta falência anunciada é a maior tarefa da democracia”.

As seis medidas são:

1. Primeira medida:anular o aumento do IRS e mudar o sistema fiscal com eficácia imediata

2. Segunda medida: um programa para reestruturar as dívidas e para financiar o investimento na criação de emprego

3. Terceira medida: reforçar as políticas sociais ao nível local, com mais responsabilidade e mais rigor nas autarquias

4. Quarta medida: corrigir a dívida interna, recuperando hospitais e terminando o escândalo das PPP rodoviárias

5. Quinta medida: proteger a Segurança Social

6. Sexta medida: proteger as pessoas dos despejos e do sobreendividamento

Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Aveiro












18 comentários:

Paulo Pinto disse...

Que coisa mais ridícula. Estas "medidas" são completamente vazias de conteúdo. Vamos não aumentar o IRS, investir no emprego, aumentar as proteções sociais e recuperar hospitais com que dinheiro? Com o que cai do céu??
Eu não estou à espera que as pessoas apoiem este Governo porque neste momento, mesmo sendo militante do PSD, eu também não concordo com muito do que se tem feito. Mas também espero que não caiam neste tipo de patranhas mentirosas e demagógicas.
"em 2012, a dívida pública já aumentou 13,4 mil milhões.." dizem estes iluminados. Pois para a dívida não aumentar é necessário que o país deixe de viver em défice. Como é que o Bloco se propõe a colocar o défice a 0? A gastar mais dinheiro com políticas sociais? É o contra-senso total. Os reis do disparate, da demagogia, do não saber fazer contas, do não perceber o que se passa e aproveitar para enganar as pessoas.

Anónimo disse...

Ai daquele que não votasse a favor,.

Anónimo disse...

parece que o Paulo Pinto não sabe ler, nem fazer contas. coitado de quem não sabe o que diz. meu Deus perdoa-lhe

Paulo Pinto disse...

Há quem goste desta linha do BE do falar sem dizer nada.

Nuno disse...

Concordo com o Paulo Pinto. Que medidas mais infantis!
Até me sinto insultado por ter representantes a propor isto sem qualquer conteúdo relevante!

"Terminando o escandalo das PPP" que comédia. Mas estes senhores querem fazer crer que é só quebrar contrato e fica todo resolvido? Idiotas!

XEIRINHAS disse...

Parece que ninguém sabe muito bem como resolver isto,mais, todos são acusados de criticar mas de não apresentar soluções. Pois agora aparece quem tem a poção mágica para solucionar a crise-a económica, e logo gente da nossa santa terrinha e ainda os criticam. A verdade é que o povo ou anda muito distraído ou não lhes passa patavina porque, eleição atrás de eleição, é sempre a perder votos. Nos Açores, ainda
agora foi o que se viu, se não me engano, até acabaram por perder o único deputado que tinham.

Paulo Pinto disse...

Nada se irá resolver sem uma completa reforma de funcionamento do país, uma Constituição que não leve ao atraso e uma aproximação à união orçamental, bancária e das SS da UE.
Os serviços do Estado não são sustentáveis, a saúde não é sustentável e a segurança social não é sustentável e enquanto continuarmos a ignorar isto não vamos a lado nenhum. Ao contrário do BE, do PCP e da CGTP já todos sabemos que o dinheiro não cai do céu.

Anónimo disse...

Blog POLITEIA: «E a primeira alternativa que temos de pôr em prática é a erradicação da OBSCENA VERBA de mais de 9 mil milhões de euros - que está inscrita no Orçamento de Estado - para pagar o serviço da dívida... tem de ser substituída por uma verba incomparavelmente menor.»


«reintroduzindo um imposto sobre heranças»

Não concordo.
Frequentemente, as pessoas fazem grandes sacrifícios para deixar algo aos filhos... seria de muito mau gosto aplicar um imposto sobre esses sacrifícios.

Paulo Pinto disse...

Um discurso parecido com este do Bloco de esquerda:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Gente/Interior.aspx?content_id=2845959&page=-1

Anónimo disse...

quem levou o Povo à miséria não nos vai dar o paraíso. a laranja vai esmagar o povo tal como o partido socialista grego fez na grécia

Anónimo disse...

O PP têm um discurso tipo "cassete", concordo com uma nova constituição em que as pessoas e não os partidos sejam chamadas a elaborar, onde conste que os politicos serão responsabilizados criminalmente quando cometem danos ao país, (tal como ao simples trabalhador lhe é descontado no salário sempre que danifica uma peça na linha de produção, uma reforma no modo como os partidos apresentam suas listas de candidatos, por exemplo terem de apresentar 50% dos lugares preenchidos por cidadãos aleatoriamente selecionados e colocados em lugares elegíveis. Apenas 2exemplos que muito iria alterar a maneira como se faz politica por cá e onde a participação da sociedade civil seria real e não uma "pantomina".

Anónimo disse...

Este Paulo Pinto só comenta posts do Be, é um apaixonado.
Parece o avançado do Oliveirense o Adriano.
Gostas pouco gostas!

Anónimo disse...

Qual a diferença entre um discurso que afirma que tudo é possível e outro em que nada é possível?

Paulo Pinto disse...

Cidadãos aleatoriamente selecionados? lool É lindo. Vote no Castelo Branco. Ele deve ter sido selecionado aleatoriamente.

Anónimo disse...

Caro senhor Paulo Pinto, democracia é boa se for feita à sua maneira, porque quando a democracia for feita pelos cidadãos já não lhe serve, nem a si nem aos partidos existentes. Quanto ao Castelo Branco, você lá sabe com quem anda.

Paulo Pinto disse...

A democracia é feita por cidadãos livres, em associações, movimentos partidos... Qualquer um é livre de se candidatar. Se "obrigarmos" um partido a escolher alguém, isto deixa de ser democracia.

Anónimo disse...

Não adianta procurar culpados, realmente a dita democracia nunca deu frutos gostosos.A primeira republica levou o País á ruina social e económica,o Estado novo(quer queiram admitilo ou não)tirou o dito desse buraco quase sem fundo.Depois de se pagar as dívidas se começaram as grandes obras;Estaleiros navais,companhias de aviação e navegação,metro de Lisboa,ponte da arrábida e de Salazar,hospitais varios,Sjoão,Sta maria.O analfabetismo era enorme,enfim,tudo era feito e pago.Porque é que agora tudo que é feito é a crédito?.esta nossa républica atual,em pouco tempo destruiu o que com o esforço de todos tinha sido erguido.

Anónimo disse...

Adoro a fotografia do Paulo Pinto.. é tão.. parece uma mistura de durão barroso com josé sócrates mais carlos castro.. pena é nehum deles ser laranjinha como ele se não ainda lhe davam uma trinca.. menos o último lolol