05 agosto, 2011

Cifial, uma calamidade anunciada?!

image A Cifial está com problemas, isso parece não ser discutível! E quem de uma maneira ou outra “levará por tabela” é, como sempre, o “pobo”… neste caso o trabalhador! 

Não adianta acusar este ou aquele de ter feito maus negócios ou que este ou aquele é que deveria ser despedido… isto porque se a coisa não se resolve….também será despedido! Todos serão… e até pode nem demorar muito, digo eu! Embora uns fiquem “talvez” mais remediados do que outros!

Sendo necessário perceber as razões, o importante é “trabalhar/negociar” com o estado actual das kouzas e não optar por um discurso considerado mais ou menos de esquerda que os trabalhadores têm direitos, etc, etc! Não deixando de ser verdade, também é verdade que se não houver dinheiro, não haverá qualquer tipo de direitos! 

Pelo que contam, alguns dos problemas da Cifial, que não são de agora e que terão contribuído para o actual estado das kouzas são alguns como por exemplo:
  • A compra da Aquatis (actual Cifial Cerâmica) que não foi o negócio que se esperava, nomeadamente devido aos muitos problemas internos que aquela empresa tinha (e ainda tem)!
  • Por outro lado, os elevados investimentos que foram feitos ao longo dos anos não foram rentabilizados. Originando mais encargos do que benefícios (alguns deles não foram devidamente calculados sobre se valia ou não a pena serem realizados); há ainda a questão dos apoios comunitários que não foram devidamente aplicados e agora parece que não há “rendimentos” para se investir nem…. para os devolver “às europas”!
  • Por último, nos últimos anos alguns dos maiores clientes “fugiram” para os novos mercados (China, Índia, Marrocos), onde os custos são muito baixos, e consequentemente os preços também são muito menores! Para terem uma ideia, o preço de compra de um puxador na China é bastante inferior ao custo de produção desse mesmo puxador em Portugal!
Visto algumas das razões que levaram a Cifial ao actual estado, vamos ao que neste momento parece ser importante: manter os postos de trabalho! 

Parece que a Cifial tem bastantes encomendas e tem stock, o problema está na falta de liquidez para adquirir matérias-primas (latão, por exemplo) - neste momento só entram produtos no armazém após o dinheiro estar na conta do fornecedor! 

Neste seguimento, a Cifial propôs reduzir a actividade em 2 dias por mês de uma parte da produção com a perda de 10% do salário dos funcionários.

Foram os Recursos Humanos da empresa que comunicaram esta decisão aos funcionários! Pelo que se consta a aparente indiferença da Administração, que não deu qualquer tipo de explicação aos trabalhadores, causou um péssimo mal-estar entre eles! 

Surge então o Sindicato, muitas vezes imprescindível, outras “mais ou menos dispensável”, digo eu! 

O sindicato tomou conhecimento do assunto, pediu uma reunião à Administração para pedir esclarecimentos! Pelo que se sabe, foi transmitido ao sindicato que a decisão anunciada seria a “menos má”, pois as alternativas passavam pelo lay-off e em último recurso pelo pedido de insolvência; 

Ora, parece que o sindicato defendeu junto dos trabalhadores para não aceitarem a redução, pois tratava-se de uma medida ilegal e "escondeu" as outras 2 soluções para o problema! Levando assim, desta forma, os trabalhadores, na sua maioria a rejeitar a proposta da Administração da empresa! 

Então a Cifial avançou com o lay-off de toda a produção, encontrando-se ainda em negociações com os funcionários mais antigos para estes anteciparem a reforma! 

Sem estar por dentro destes assuntos, no mínimo causa-me estranheza que digam que estar em lay-off é melhor do que ter aceite a proposta inicial da empresa, que sendo ilegal, apenas retiraria 10% dos vencimentos dos funcionários enquanto assim ficam sem 30%

E o problema não fica por aqui, pois teme-se ainda que possa haver um despedimento colectivo, não se sabendo o que vai acontecer após o período de férias que se aproxima! 

Sim, pelo que soube, é um cenário bastante real! 

O possível encerramento da unidade de Santa Comba Dão (Cifial Cerâmica) é talvez o próximo passo, e nas empresas de Santa Maria da Feira estão a ser realizados esforços muito significativos para evitar mais uma "calamidade" social!

15 comentários:

Anónimo disse...

O despedimento talvez seja como alguém que agora está lá dentro anda a fazer na sua empresa, paga o equivalente a dois ordenados e out. O sr. engenheiro tem que abrir os olhos, o que andou a construir, não podem vir agora miúdos estragar. Já acontece assim numa empresa em Cortegaça e agora a tentativa de despedir acontece em Rio Meão. E a poluição, é verdade, existe e por onde passa queima tudo. A descarga vem da fábrica e está a queimar tudo por onde passa.

Anónimo disse...

mas então, esta não era a empresa do especialista em empresas?!!! o patrão dos patrões? como o especialista não consegue manter a sua empresa, será que sem os subsídios que anos a fio correram para lá, já não há especialista empresarial?

Paulo Pinto disse...

É mais uma situação onde os sindicatos são mais um estorvo do que uma ajuda. Tem sido uma constante desde o 25 de Abril.

Anónimo disse...

Uma empresa com excelentes profissionais mas com um patrão muito fraco e sem educação...
Uma empresa que sempre viveu com subsidios não dura para sempre.
Os custos da etar muito elevados, pois mais vale meter os residuos pelo rio abaixo ou então enterra los para depois fazer um parque de estacionamento por cima...

Anónimo disse...

Concordo com o Paulo. São necessários, mas tem de fazer mais que é como quem diz trabalhar mais e falar menos. Atrapalhar é o que nunca deviam fazer e infelizmente fazem-no muitas vezes.

Anónimo disse...

O Sr. Paulo Pinto poderá concretizar melhor as suas afirmações?

Anónimo disse...

...o Tricloroetileno é encontrado com frequência nas aguas dos poços em redor da empresa,tanto saber,liçenciaturas,fiscalização e gente cheia de canudos para nada...é uma benesse para a Indaqua!...

Paulo Pinto disse...

Caro anónimo, basta ler o post. Mas eu ajudo, resumindo:

"Neste seguimento, a Cifial propôs reduzir a actividade em 2 dias por mês de uma parte da produção com a perda de 10% do salário dos funcionários.

Ora, parece que o sindicato defendeu junto dos trabalhadores para não aceitarem a redução, pois tratava-se de uma medida ilegal e "escondeu" as outras 2 soluções para o problema! Levando assim, desta forma, os trabalhadores, na sua maioria a rejeitar a proposta da Administração da empresa!"

Enquanto os sindicatos não se convencerem que flexibilizar o trabalho pode salvar muitos postos de trabalho não vamos a lado nenhum.
Neste caso reduzia-se 10% ao salário e continuam a laborar e, quem sabe, seria uma situação temporária até a empresa recuperar liquidez. Assim, entra a medida legal do lay off e todos perdem 30% do salário. Obrigado sindicato!!

Anónimo disse...

Quando se permite numa empresa que uma certa pessoa, por sinal um supra-sumo do design, possa deslocar-se de trotinete dentro dos corredores, tudo o resto é uma banalidade! Enfim, uns são filhos, outros vão para o lay-off!

Anónimo disse...

Ainda hoje não se percebem porque nos últimos 3/4 anos se foram embora algumas pessoas (válidas) e outras se foram afastando por desagrado com o rumo da empresa e se foram contratando muitas pessoas e dando muito poder a outras que já lá estavam, mas que se revelam autênticos "flops" a ganhar "charters" de dinheiro. Vejam os chefes das engenharias de todas as fábricas e analisem-se as suas produtividades! E cuidado quando tentarem "tocar" nos compadrios da "contabilidade", muito cuidado mesmo!

Anónimo disse...

Só quero deixar algumas dúvidas: porque se foram embora o Eng. Rui Brandão, Dr. Francisco Costa, Eng. Naldinho, Dr. Dias Pinto, Eng. Verdial, Eng. Avelino Costa, Eng. Orlando, Dr. Luís Pereira, e muitos outros? Será que foi por incompetência deles? Não foi, tenho eu a certeza disso.
Mas os competentes continuarão a sair para dar lugar à gente incompetente e sem qualquer "jeito" para desempenhar as funções actuais, que continuam a "pavonear-se" na empresa e que qualquer colaborador pode constatar isso.
Mas como são as pessoas "da produção" a indicar esses casos de inaptidão, as suas opiniões não contam para os excelentíssimos administradores longiquamente formados!
Enfim ... e por aqui me fico!

Anónimo disse...

...pois aliás,com eles lá para que serve a produção?
Mais,a LayOff serve para quê? Trêtas,mais vale fechar,e dessa forma acabam todas as benesses desse inaptos credenciados pagos a peso de ouro para nada...
Quem tem idade para o trabalho ainda, e percebe da poda NÃO DEVE TER MEDO...O Ministério do ambiente já devia ter encerrado algumas unidades,por contaminar os lençóis freáticos da região.
Este País esta como esta,á conta de vários encanudados/mestres/doutores etc,não foi gente sem curriculum...
Existe uma frase que se aplica na perfeição a esta empresas...:"Quem mais trabalhou,mais se f***u"

Anónimo disse...

ferias .... layoff .... mas que bom ferias com os carros da cifial etc

Anónimo disse...

Numa empresa , todas as pessoas devem ser participativas de uma forma idónea , saliento que não sou funcionário da empresa , e que descobri este blogue por coincidencia.Mas uma coisa que fique certa e que gostava de salientar , reparo que existe de uma forma geral comentários de alguma cobiça e inveja pelos colegas com algum estatuto dentro da mesma , não será melhor cada um de vós começar a produzir mais e não estar a olhar o que o outro têm.

Anónimo disse...

O fim desta empresa está anunciado.

Basta conhecer e o fim era previsivel desde que muitas pessoas foram afastadas.