03 agosto, 2011

PCP - O deputado comunista Jorge Machado contactou com trabalhadores da Subercor e Vinocor

image Acompanhado de dirigentes distritais e locais do PCP, o deputado Jorge Machado deslocou-se na passada terça-feira a Mozelos para contactar directamente com os trabalhadores destas empresas corticeiras.

Foi por demais evidente a profunda revolta e indignação das dezenas de trabalhadores que se encontravam junto aos portões da fábrica face não só ao atraso no pagamento de vários salários e subsídios, como e acima de tudo pela indefinição e muitas dúvidas que o actual processo de insolvência levanta. 

Na verdade, não se compreende, nem se pode aceitar que um dos maiores grupos do sector corticeiro, como é o presente caso, esteja e definhar e vender ao desbarato o seu património e recheio, o que se tem verificado nos últimos dias, sem o minímo pagamento ou amortização dos salários em dívida aos trabalhadores. No preciso momento em que decorria o contacto com os trabalhadores, todos puderam assistir a mais uma tentativa, entretanto gorada, de retirar destas unidades fabris mais material e equipamentos. 

Há, com efeito, situações dramáticas de trabalhadores, com muitos meses de salário por receber o que causa grande preocupação e desespero.

O deputado Jorge Machado, numa curta mas incisiva intervenção, referindo o papel do PCP e os sucessivos requerimentos e perguntas apresentados pelo respectivo grupo parlamentar sobre a situação, salientou a importância da unidade dos trabalhadores nesta luta em defesa dos seus direitos e da manutenção dos postos de trabalho e manifestou mais uma vez toda a solidariedade e apoio. 

Tudo aponta para o que se está passar na Vinocor e Subercor se enquadre numa estratégia bem deliniada de afundar estas duas empresas em beneficio claro dos grandes grupos monopolistas do sector corticeiro que assim aumentam o seu império, destruindo dezenas de pequenas e méidias unidades industriais e consequentemente centenas e centenas de postos de trabalho, com a clara cumplicidade dos governos e o total alheamento do próprio Executivo Municipal de Stª Mª da Feira. 

image 

image

3 comentários:

Paulo Pinto disse...

Este anúncio publicitário ao PCP parece aqueles do Pingo Doce. Foi lá, tirou fotos para pôr na net, leu um texto... e soluções? Zero.

Anónimo disse...

Assim é que é, Paulo, sempre atento. Muito bem. Não se pode deixar passar uma, que estes comunas são da marca do diabo. Se ficassem mas era caladinhos e sossegados em Lisboa como os deputados bem comportadinhos que o distrito elege pelo psd é que faziam bem, não era? Ainda ao menos se cá viessem dar uma passeata pela viagem da febra, vá que não vá, mas só cá aparecem para fazer barulho, estes agitadores. É correr com eles, o povo é ordeiro e não precisa deles.
Pois claro. Continua o bom trabalho por aqui.
Pedro A.

Anónimo disse...

Com a nova zona industrial prometida(10 anos) pelo Presidente da junta na zona de Vilas o problema destes e outros trabalhadores está resolvido! Mas falta o dinheiro... pois ... mas para o futebol não falta...vai ser feito como dinheiro das fitas mediaváis!